Toponímia significa nomes dados a praças, ruas, bairros, lugares, estátuas, das nossas vilas e cidades… Identificam e orientam quem vive ou passa por ali, mormente quando aparecem notas explicativas da história dessas figuras ou pessoas… Tudo isto – claro está – no culto e respeito pela História e pela Verdade…

Sendo assim, é claro que só uma cabeça-oca seria capaz de chamar “Ponte Eifeel” a uma ponte construída nos séculos XVII ou XVIII, isto é, antes de 1832-1929 – época da vida e obra do Eng.º Gustavo Eiffel. 

Peço agora ao meu prezado Leitor que pense comigo: a ponte lisboeta que liga a capital a Almada tinha o nome “Salazar” e fora inaugurada solenemente em Agosto de 1966. Como por artes mágicas e de repente, aparece com o nome de “ponte 25 de Abril” ou seja ponte da revolução dos cravos efectuada em 1974, isto é, 8 anos após a inauguração da referida ponte lisboeta. Quem fora o iluminado de cabeça-sem-miolo que propusera ou impusera tão disparatada, abusiva, usurpadora, aviltadora da História e Verdade mudança de nome!? A “Associação 25 de Abril” não me parece – tal a ostentação e ufania com que ocupa os lugares cimeiros nas comemorações oficiais…

Mas que foi um inqualificável disparate ninguém de boa fé o negará… Levante-se o réu e seus coniventes…! Andou ali vergonhosa ratice…! Os transeuntes daquela ponte que acreditem em verdades-ocas de provas serão levados a concluir que aquela obra monumental é filha do “25 de Abril”… Conclusão abortiva…!

A razão muito outra: querer medalhas e condecorações ao peito mesmo que falsas, usurpadas, roubadas, para com elas colher louros imerecidos porque pertença de outrem…

E os nossos “políticos-sem-critérios” lá se deixam ir navegando em águas sujas…! Como se a face linda da Democracia pudesse ser mantida e alindada por pinturas de tintas corrompidas…!

Toponímia só no respeito pela História e Verdade…!