Desde a sua origem que o “A Aurora do Lima” (AAL) é editado na base de uma colaboração graciosa em contexto semiprofissional, com especial referência no âmbito da imprensa regional. Ao longo dos anos, todos os que fazem este jornal exercem a sua função, por vezes polemizando, mas, particularmente, contribuindo também com propostas para que a nossa região possa acompanhar o desenvolvimento geral do país. No dia em que a história do AAL for feita se aquilatará como a colaboração de tanta gente notável, para além da sustentabilidade que dá a este periódico, contribui para o engrandecimento de Viana e das suas freguesias.

É nossa obrigação lembrar e realçar a componente, quiçá única, que são os nossos correspondentes, pelo trabalho generoso e voluntário para manter informados os leitores sobre as vivências das áreas que lhes correspondem. Como em tudo na vida, há quem disponha de mais tempo e possa contribuir com uma ação noticiosa mais alargada, mas, no contexto geral, o AAL só pode orgulhar-se de ter colaboradores em, praticamente, todas as freguesias que, acompanhando o tempo, noticiam sobre a evolução da sua terra e ajudam a construir a história da mesma.

E sabemos quanto isso é importante pela regular procura nos nossos arquivos, por parte de estudiosos ou simples curiosos, de noticiário que indicie sobre o que aconteceu e como tem evoluído o seu lugar de nascimento. Tal só é possível porque em cada aldeia, mesmo que remota, o correspondente, quotidianamente, foi compilando e enviando notas do que considerou importante dar a conhecer.

De salientar que estes correspondentes, superando-se e de moto próprio, fazem um trabalho na divulgação e promoção do AAL que chega a ser comovedor!… Trata-se de feitos notáveis, a demonstrar como é possível, neste tempo de pandemia e crise inerente, resistir e manter de pé este órgão de informação de tão marcantes memórias.