Ainda hoje guardo (de momento, confesso… não sei onde) um retrato meu que o Amorim desenhou naquele salão com uma esferográfica de quatro cores, na contracapa duma tábua de logaritmos, de que todos admiraram a certeza do traço sem retoque, a verossimilhança, ficando eu todo contente só por ser o modelo. Dos diversos animadores daquela […]
Para ler a restante notícia, deverá ser assinante do Aurora do Lima. Subscreva uma das assinaturas para ter acesso às anteriores edições do Aurora do Lima. Faça Log in ou assina já.