Li, há pouco, na Imprensa escrita, que “nos Bingos-Casinos portugueses, são arriscados em jogo mais de quatro milhões-Euros por dia”!

Esta notícia despertou na minha mente a recordação do que aprendi, há várias dezenas de anos, nos bancos da Catequese da minha aldeia: os “sete pecados capitais”, cujos um é Avareza (apego desenfreado ao Dinheiro)…

Realmente o Dinheiro, procurado em demasia e sem limites, pode constituir — constitui sempre — um declive resvaladiço que pode findar no Abismo… Tornado “vício indomado”, pode criar fortunas, mas pode desgraçar irremediavelmente Pessoas, Famílias inteiras…!

Quando eu era criança (quão longe já vai!) ouvia falar em “apostas a dinheiro”, em “lotaria”, em “roletas” e “jogos de azar”… Chegado aos dias de hoje, espanta-me o que vou observando em “gastos excessivos com “Raspadinha”, “Totobola”, “Totoloto”, “Euromilhões”, “Máquinas de Casinos”, etc..

Aldeias, Vilas, Cidades, são palcos de Actores à procura da sorte…! E não são apenas os Remediados e Ricos a buscar Fortuna. Em proporções mais ou menos variáveis, superabundam os “viciados no jogo” em todas as classes sociais! Até em pessoas pobres!? Até nestas, segundo garantem “vendedores” das apostas, cujos clientes habituais eles bem conhecem de perto…

Autênticos aventureiros, comandados pelo Vício…!
Na verdade, o “Jogo”, tornado vício sem freios, pode transformar-se em trágica calamidade…! Se um ou outro aí encontrou a Ventura, quantos muitos mais aí caíram num Abismo…!

Cuidado, pois, com tais “aventuras”! O Dinheiro-tentação tanto pode simbolizar “céu” como pode ser sinónimo de “inferno”…! Pertence a cada Indivíduo escolher o caminho para lá chegar…! O “jogo da Vida” não pode ser ganho, apenas nem sobretudo, no risco do “Jogo”…!

Foto: Saúde IG