Quando eu me finar, Não sei que ofícios me vão armar… A minha vida foi de tal modo vivida, Sonhada em catraio, existida, Onde não faltava a esperança Apetecida de uma criança, A pensar no cargo que teria E o que viria a ser um dia, com alegria. Um adolescente, consciente, a sonhar No que […]
Para ler a restante notícia, deverá ser assinante do Aurora do Lima. Subscreva uma das assinaturas para ter acesso às anteriores edições do Aurora do Lima. Faça Log in ou assina já.