Até amanhã, dia 22 de outubro, Vila Nova de Cerveira dinamiza um encontro internacional afeto ao projeto BRIDGE, no qual participam 11 parceiros europeus, com o objetivo de criar sinergias no âmbito da cooperação transfronteiriça e do intercâmbio de boas práticas. O desenvolvimento do programa distribui-se entre Cerveira e Tomiño, de forma a dar a conhecer a realidade e dinâmica da Eurocidade.

O projeto BRIDGE, coordenado pela Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira e financiado pelo Programa da União Europeia ?Europa para Cidadãos?, integra 11 entidades e municípios transfronteiriços de 11 países europeus, com o intuito de promover a cidadania e a coesão social além-fronteiras. A Vila Nova de Cerveira e a Tomiño, juntam-se entidades da Bulgária, Hungria, Eslováquia, Eslovénia, Itália, Chipre, Lituânia, Letónia e Sérvia.

O programa de três dias iniciou-se ontem, às 09h30 com a sessão de boas-vindas às comitivas, protagonizada pelo Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira, Rui Teixeira, seguindo-se a cerimónia de assinatura dos acordos de parceria. Durante a manhã, a jornada de trabalhos prossegue com a apresentação do projeto e das entidades presentes. No período da tarde, cada parceiro dará o seu testemunho relativamente às dificuldades de viver peto da fronteira em contexto da pandemia Covid-19, terminando-se o dia com uma visita ao centro histórico de Vila Nova de Cerveira.

 

Na sexta-feira, 21 de outubro, o programa desenvolve-se do lado de Goián, em Tomiño, com a receção às comitivas realizada pela alcaldesa Sandra González, prosseguindo-se com as conferências dedicadas às boas práticas de cooperação transfronteiriça, como as existentes entre Cerveira-Tomiño, entre universidades galegas e portuguesas, ou as desenvolvidas pelo AECT Rio Minho. Este segundo dia de trabalhos conta ainda com a presença e intervenção do representante da Direção-Geral de Política Regional e Urbana da Comissão Europeia, o Dr. Ricardo Ferreira, que abordará o programa europeu de financiamento para investimentos nas regiões transfronteiriças. Para o sábado, 22 de outubro, está previsto um debate sobre o euroceticismo e a realidade dos territórios com fronteiras.

Durante a execução do projeto, até outubro de 2022, os parceiros analisarão as causas que alimentam a xenofobia e o euroceticismo em muitos países, apresentando possíveis soluções para garantir que as regiões transfronteiriças da União Europeia possam, através dos seus próprios meios, contribuir para a melhoria da cidadania europeia com experiências partilhadas, como é o caso da Eurocidade Cerveira?Tomiño.