A encerrar as Comemorações do Dia de Ponte de Lima, cuja Sessão Solene decorreu no passado dia 04 de março, o respetivo Programa Cultural apresenta três espectáculos musicais que preenchem a programação do Teatro Diogo Bernardes que, praticamente, não irá encerrar as portas, tal o número de espetáculos a efetivar neste fim de semana.

Hoje, dia 08, decorre, às 22h, um concerto de jazz. Intitulado Big Bands: Do Ballroom à Sala de Concerto – Uma viagem pelos tempos do jazz com a Orquestra Jazz de Matosinhos, integrado num conjunto de concertos pedagógicos, contando com a apresentação do seu autor e crítico de jazz Manuel Jorge Veloso, colocará em evidência a importância que as big bands tiveram na História do Jazz, enquanto formação instrumental indissociável da evolução dos vários estilos jazzísticos.

Percorrendo o repertório do chamado “período de ouro” que ficou a marcar o trajecto das big bands (1925/1955), a Orquestra Jazz de Matosinhos tocará nesta primeira série várias peças-chave das orquestras de Fletcher Henderson, Jimmie Lunceford, Duke Ellington, Count Basie, Benny Goodman, Tommy Dorsey, Artie Shaw, Dizzy Gillespie, Woody Herman, Stan Kenton ou Gerry Mulligan, arranjadores, compositores e chefes de orquestra de referência nesse período.

A 09 de Março sobe ao palco Sara Correia, numa Noite de fado que promete ficar na memória de todos.

Sara Correia acaba de lançar o seu álbum de estreia, homónimo, criado em parceria com o produtor Diogo Clemente.

O álbum foi apresentado pela primeira vez ao vivo, no dia 06 de setembro, na Praça do Município em Lisboa. Uma noite que ficará certamente marcada na história de Sara Correia, que emocionou todos os que assistiam, numa Praça do Município completamente lotada e totalmente rendida ao talento e presença do furacão Sara Correia.

Para muitos, Sara Correia não será uma nova voz porque é, desde muito cedo, presença habitual nas melhores casas de fado da cidade. E, por isso, canta com a propriedade e força de quem cresceu no fado.

Aos 13 anos consagrou-se vencedora da Grande Noite do Fado e, logo de seguida, foi convidada para cantar numa das mais míticas casas de fado da cidade, a Casa de Linhares. Aí teve o privilégio de cantar e aprender ao lado de grandes nomes como Celeste Rodrigues, Jorge Fernando, Maria da Nazaré, entre outros.

Por último, na tarde de 10 de março, com entradas gratuitas, limitadas a dois por pessoa até esgotar a lotação da sala, o Concerto da Banda do Exército – Destacamento do Porto.

A Banda do Exército – Destacamento do Porto, é criada como consequência das várias transformações e reestruturações levadas a cabo, na organização do Exército Português, desde o início do séc. XIX até aos dias de hoje. Assim, é legítima herdeira das tradições históricas das antigas bandas militares, sediadas na cidade do Porto, nomeadamente a Banda Militar do Regimento de Infantaria N.º 18, Banda Militar do Regimento N.º 6, Banda da Região Militar do Norte, Banda Militar do Porto e demais designações estabelecidas por via das várias reorganizações, ao longo dos tempos, da música militar no Exército.