Está reduzido agora a um pedaço do tronco do arbusto enorme que foi, restando-lhe contudo um braço corroído e esburacado a desfazer-se, que sustenta na ponta um ramo farto com folhas verdes a roçar o chão, onde floresceram meia dúzia de belas flores rosadas. É o mesmo rododendro de que há anos a esta parte […]
Para ler a restante notícia, deverá ser assinante do Aurora do Lima. Subscreva uma das assinaturas para ter acesso às anteriores edições do Aurora do Lima. Faça Log in ou assina já.