A Câmara Municipal de Caminha e a Comunidade Intermunicipal do Alto Minho vão inaugurar a peça artística ‘Abrigo’, da dupla FAHR 021.3, no âmbito do projeto DESENCAMINHARTE (DES 18), no dia 15 de dezembro, pelas 11H00, na beirada do rio, em Lanhelas. Esta obra pertence a um conjunto de 10 projetos propostos pelo DESENCAMINHARTE, que tem como missão criar sinergias entre território, arte, cultura e população, numa dinâmica de envolvimento intermunicipal. A cerimónia conta com a presença de Guilherme Lagido Domingos, presidente em exercício do Município de Caminha, e de Josefina Covinha, presidente da Junta de Freguesia de Lanhelas.

Segundo os autores, que são também coordenadores da edição deste ano do DESENCAMINHARTE, “Abrigo” é um “objeto pousado na margem, um banco, um abrigo, um barracão vazio, um recorte na paisagem. Este direciona o olhar para as águas do Minho e para a outra margem, gerando na sua forma um espaço sagrado de contemplação e de retiro. A sua modelação sugere a maturação de uma pedra que se moldou ao tempo daquele lugar, onde tudo parece ser mais lento, mais calmo, mais emocional.”

O DESENCAMINHARTE é um programa que visa promover a criação artística no Alto Minho através de uma dinâmica em rede que estimule o reconhecimento da sua identidade. A edição de 2018, com programação a cargo do coletivo HODOS, centra-se no desenvolvimento de dispositivos que contribuem para a valorização do património cultural e natural da região. Dez autores relevantes no panorama artístico e arquitetónico contemporâneo foram desafiados a intervir na paisagem singular de cada um dos dez municípios. A partir de uma leitura sensível e afetiva do lugar, estas obras serão construídas até ao final do ano, num diálogo aberto entre território, arte, cultura e população.

HODOS é um coletivo constituído por FAHR 021.3, depA Architects e Still Urban Design, com o objetivo de valorizar os percursos pedestres em Portugal, afirmando-os como elementos de integração ou dissociação na paisagem. Através da identificação e tratamento de pontos de interesse nesses percursos, HODOS pretende reformular a experiência da caminhada com recurso à criação de peças de arte e arquitetura.

FAHR 021.3 é um coletivo fundado em 2012 por Filipa Frois Almeida e Hugo Reis. Ambos formados em arquitetura pela Escola Superior Artística do Porto, os seus percursos foram sendo marcados por interseções da arte com a arquitetura. O estúdio FAHR 021.3 assume-se assim pelo cruzamento dos seus fundadores, em procura de uma identidade evolutiva e inquietante em torno de processos experimentais com especial foco no cruzamento entre a arte e a arquitetura em espaço público. Esta dupla tem sido distinguida nacional e internacionalmente por um conjunto de projetos que se caracterizam pela sua abordagem formal e provocadora como Hairchitecture, Metamorfose, Eclipse e NAPPE (2016-19 em Taiwan).