Em Santa Marta de Portuzelo, como parece acontecer por todo o país, num ápice, desapareceram a azáfama, o frenesim, a pressa. Exceção feita à lide dos campos, à panificação, farmácia e comércio de bens essenciais, tudo o resto que funciona é exercido com cautelas adequadas à situação, sem pressas e com ordem. «Neste tempo de […]
Para ler a restante notícia, deverá ser assinante do Aurora do Lima. Subscreva uma das assinaturas para ter acesso às anteriores edições do Aurora do Lima. Faça Log in ou assina já.