A cidade de Valença recebe amanhã, dia 22 de setembro, um debate sobre o projeto da Comunidade Intermunicipal do Minho –Lima (CIM Alto Minho) “Alto Minho 4D- Viagem no Tempo”.

O ponto de partida do projeto dá-se em Valença, mas são muitos os castelos e fortalezas que ainda resistem na região do Alto Minho. O projeto da CIM, “Alto Minho 4D – Viagem no Tempo” irá torná-los visitáveis, numa rota cultural e turística, que estará em debate no próximo sábado, 22 de setembro.

 

A iniciativa arranca com uma conferência, às 11 horas, na Biblioteca Municipal de Valença, que abordará aquela que é a mais importante fortaleza do Alto Minho e um exemplo mundial da arquitetura militar abaluartada. A conferência “Dos Castelos e Fortalezas” contará com a participação dos investigadores Renata Araújo, da Universidade do Algarve, e Luís Ponte, da Universidade do Minho, e tem entrada gratuita, mediante inscrição prévia no site da CIM Alto Minho: www.cim-altominho.pt.

 

Já à tarde, os participantes terão a oportunidade de acompanhar uma visita performativa à fortaleza de Valença, com partida às 15 horas, nos Paços do Concelho. A performance terá a participação do Coro das Mulheres do Minho e da comunidade local.

 

Durante todo o dia, Valença será “invadida” por sketchers urbanos, que assim se juntam a esta viagem no tempo para registarem no papel o património cultural e natural da vila minhota.

Alto Minho 4D – Viagem no Tempo um projeto cultural e turístico

Com a abertura da Porta do Tempo de Valença, o projeto “Alto Minho 4D – Viagem no Tempo”, atinge o meio da viagem, que se iniciou em Caminha, em março passado, e já passou por Monção, Ponte de Lima e Ponte da Barca. Depois de Valença, a 22 de setembro, com a “Rota dos Castelos e Fortalezas”; a viagem prossegue por Melgaço, no dia 20 de outubro, com a “Rota dos Mosteiros”; Viana do Castelo, a 17 de novembro, com a “Rota dos Descobrimentos”; Arcos de Valdevez, no dia 8 de dezembro, com a “Rota do Barroco”; Paredes de Coura, a 12 de janeiro de 2019, com a “Rota da Arquitetura Tradicional”; e, finalmente, a viagem termina em Vila Nova de Cerveira, no dia 9 de fevereiro do próximo ano, com a “Rota do Contemporâneo ao Futuro”.

De recordar que o projeto “Alto Minho 4D – Viagem no Tempo” foi aprovado pelo Programa Operacional Regional do Norte – Norte 2020, no domínio do “Património Cultural”, e pretende criar uma rede de 10 rotas/itinerários cronológicos culturais baseados na história e no património do Alto Minho. Com esta iniciativa intermunicipal cada um dos concelhos do Alto Minho encabeçará uma rota, que funcionará como o “portal” de acesso a uma “estação do tempo”, que irá dispor de uma série de valências e no qual se apresentará uma sequência de recursos patrimoniais alusivos a essa rota e a serem visitados não só nesse concelho, mas em todo o território, promovendo-se um circuito cultural pelo Alto Minho e, consequentemente, a mobilidade turística na região.