No dia 12 de maio realizou-se a habitual procissão de velas desde a Igreja Paroquial até à Capela do Senhor do Socorro, no lugar da Cavagem. Um ato de fé com muitos paroquianos a associarem-se à iniciativa. Dezenas de jovens com archotes desfilaram à frente do muito povo, seguindo o andor da Senhora de Fátima. Também tivemos a oportunidade de verificar que as casas foram engalanadas com colchas para a passagem da Procissão. O andor parou duas vezes para que os moradores laçassem pétalas de flores à Senhora de Fátima. Na capela foi pronunciado um sermão que a todos encantou.

Esta procissão deve-se à iniciativa do Sr. padre Gaudêncio Gigante.Quando a 08 de março de 1981 foi nomeado provisoriamente para a nossa paróquia, por D. Júlio Tavares Rebimbas. Quando chegou a Vila Fria ficou muito apreensivo com o estado da igreja, da residência paroquial, da falta de estruturas para a catequese e acima de tudo a desmotivação dos paroquianos.

Mas o padre Gaudêncio soube travar a rotatividade dos párocos, que poucos anos permaneciam na paróquia, criando um espírito participativo e solidário entre todos.

De referir que teremos de recuar a 1820 para ultrapassar os 37 anos que o padre Gaudêncio permaneceu na paróquia. O padre José António Machado paroquiou Vila Fria de 1780 a 1820.

A igreja apresentava-se em adiantado estado de degradação, a estrutura poderia colapsar a qualquer momento, nomeadamente o teto de tabique que apresentava grandes buracos. Era uma obra grandioso que urgia dar seguimento. Com a ajuda de muitos paroquianos, nomeadamente Manuel Vitorino que em nome individual e como presidente da Junta de Freguesia, contribuiu generosamente, para que a obra pudesse ser executada. Em 1986 procedeu-se ao restauro e ampliação, com um custo global de cerca de 29.000€.

Mas o padre Gaudêncio tinha outra preocupação, a Capela de Santo Amaro onde todos os anos, em janeiro ,milhares de devotos sobem ao Monte de Sabariz para cumprir as suas promessas. Urgia um intervenção. Em 1991, procedeu-se à substituição da abóboda, do telhado e a colocação de cornija em granito.

A residência paroquial também não oferecia condições mínimas, de salubridade e houve necessidade de intervencionar no edifício, porque não havia salas para a catequese. Dessa aproveitou-se o rés do chão que estava inabitável para se criar três salas.

Mas urgia colmatar uma lacuna que em termos sociais e de salubridade era premente, assim em 2005 construiu-se a capela mortuária, salas de apoio à igreja e instalações sanitárias condignas.

Com grande espírito empreendedor a igreja foi novamente intervencionada em 2007 e 2015 com obras de vulto, assim como a capela de Santo Amaro em 2008.

De salientar o cemitério primitivo devidamente preservado no interior da igreja e no exterior, a uma quota diferente do restante pavimento que lhe dá um realce, tendo sido objeto de muita admiração por alguns arquitetos que nos visitam.

Todas as obras estão devidamente documentadas, com fotografias e com opúsculos editados no final de cada obra. Na parte religiosa tem dinamizado, o Grupo Coral, as catequistas e diversas associações religiosas.

Por tudo que tem feito pela Paróquia, o meu agradecimento e da população de Vila Fria que muito o estima.