Mais uma vez os Antonios celebraram a festa no dia de Santo António.
O Sr. António Reis, do Lugar de Ponte Pedrinha, grande devoto de Santo António, festejou este dia durante dezenas de anos.
Este ano, e à semelhança do ano passado o António Morais de Sousa da Quinta do Paço, organizou o evento.
Para além da música gravada e uma missa pela alma de todos os Antónios falecidos, com muitas pessoas a associar-se à efeméride, seguiu-se uma romagem ao cemitério onde foi depositada uma coroa de flores na Capela de Repouso e uma paragem no jazigo onde repousa António Reis e a sua esposa, falecidos com um intervalo de 15 dias.
No final seguiu-se um jantar com muitos participantes, estando presente o pároco da freguesia Gaudêncio Gigante, o padre Alípio Torres, grande amigo da freguesia, Joaquim Reis e a sua esposa Armanda Reis, Fernanda Reis e marido, que se quiseram associar em homenagem ao seu pai, fundador desta festa, que se manterá por muitos anos.
No final realizou-se um jantar num restaurante da periferia, onde todos puderam confraternizar.

Peregrinação a Santa Luzia

Vila Fria participou, como vem fazendo ao longo de muitas dezenas de anos, na peregrinação anual a Santa Luzia.
Como habitualmente, a freguesia concentra-se junto à igreja da Senhora da Agonia, por ser das últimas a incorporarem-se. Muito povo, como nos anos anteriores, associou-se a este ato religioso, com uma grande moldura humana.
As comissões de festas também participam, devidamente vestidos com trajes, onde se identifica o grupo a que pertencem.
Este ano por dificuldades logísticas não se incorporaram muitas bandeiras, mas não é motivo para que a freguesia não se sinta devidamente integrada neste ato de fé.
Embora parecesse que iria chover, tal não aconteceu, o que permitiu que as bandeiras fizessem parte da peregrinação o que muito embeleza a cerimónia.