Hoje, a parentalidade é vivida de uma forma muito mais saudável, em que o homem assume o papel preponderante na tríade gestacional.

Nas últimas duas décadas, a presença do pai assumiu-se como um compromisso no processo educativo que se iria iniciar, mas também um processo de apoio à mulher na gestação.

É inegável que o homem é um elemento chave, e que a sua importância é vital.

Hoje, o homem sente cada vez mais a necessidade de integração no processo gestacional. Este nunca saberá o que é gerar um bebé, mas tem competências e “funções” que são únicas e muito importantes no apoio à mulher.

Cimentar uma relação no apoio e confiança e permitir ao homem ser esse pilar no processo educativo pré e pós-parto, não só favorece o casal e a sua relação, mas dá à criança uma experiência real de parentalidade positiva.

Felizmente, a ideia “machista” da Natalidade caiu em desuso e são eles, os homens, que pedem para que os deixem intervir, ser parte ativa.

A gravidez é um processo de evolução hormonal que exige às grávidas várias adaptações. O aumento ponderai de peso, o crescimento da barriga, o corpo adaptado à maternidade, são processos em que o homem deve apoiar, incentivar e motivar para que essas alterações não se tomem patológicas.

A vocês, mulheres: permitam que o vosso companheiro se envolva na gravidez, parto e pós-parto. Reforcem positivamente, pois daí nascem laços e relações que favorecem a tríade.

A vocês, homens: assumam este papel como sendo o vosso contributo para um papel exclusivo, só vosso. Não deixem de viver momentos únicos da vossa vida, é importante para o pai ser papel ativo no apoio à grávida, no âmbito emocional.

O vosso papel é especial, essencial e muito importante para deixar de ser vivido. Aproveitem cada minuto da gravidez participando na vigilância, aproveitem cada minuto do parto sendo presentes e interventivos, e sejam sempre proativos no pós-parto, cuidando dos vossos filhos e sendo agentes motivacionais das vossas companheiras.

Nada é definido por uma equação estática, tudo depende de cada um de vocês. O Milagre da Vida deve ser vivido!

 

Bruno Reis

Enfermeiro especialista em Saúde Materna e Obstetrícia