Todos os anos, mais de 17 milhões de pessoas morrem prematuramente de doenças cardiovasculares, sendo a principal causa de morte e invalidez em todo o mundo. Estima-se que, em 2030, este número ascenda aos 23 milhões.
Em Portugal, cerca de 35 mil pessoas morrem devido a este grupo de patologias e mais de metade da população, entre os 18 e os 79 anos, apresenta pelo menos dois fatores de risco cardiovascular.
“Os números referentes às doenças cardíacas em Portugal e no mundo são assustadores, mas este cenário pode ser alterado se cada um de nós fizer pequenas mudanças no seu dia-a-dia.
Este é o grande desafio da Fundação Portuguesa de Cardiologia para a população. Queremos que façam pequenas promessas que permitam viver mais tempo, com melhor qualidade de vida e com um coração mais saudável”, afirma Manuel Carrageta, presidente da FPC.
Cozinhar e comer de forma equilibrada, praticar mais atividade física, não fumar e incentivar amigos e família a seguirem estes mesmos exemplos são algumas das promessas que a FPC deseja ver cumpridas, para bem de todos.

FPC

(Imagem: “FPC”)