A retinopatia diabética é uma manifestação ocular da diabetes que afeta a retina, a parte do olho responsável pela captação e envio das imagens para o cérebro. O seu aparecimento está diretamente relacionado com o tempo de duração da diabetes e com a falta de controlo da glicemia.

Esta é uma doença que geralmente afeta ambos os olhos e caso não seja diagnosticada e tratada atempadamente, pode conduzir a cegueira. Atualmente, estima-se que 40 por cento dos diabéticos desenvolvem retinopatia, sendo esta a principal causa de cegueira em pessoas com menos de 60 anos.

Para prevenir ou controlar as alterações provocadas pela retinopatia, o diabético deve rea-lizar consultas regulares, obter informação sobre a sua condição e colaborar na gestão da mesma. Deve, este, estar ciente que a melhor prevenção é através de um maior cuidado com a saúde em conjunto com um regime de vida que permita o controlo da doença. Os exames visuais regulares são elemento fundamental na deteção precoce de manifestações da retinopatia diabética, sobretudo porque os estágios iniciais são normalmente assintomáticos.
O tratamento para a retinopatia diabética nos estágios iniciais consiste no controlo dos níveis de glicose no sangue, o que permite evitar assim uma progressão da doença. Nos casos mais avançados de retinopatia diabética, o tratamento pode ser realizado com recurso a fotocoagulação por Laser ou antiangiogénicos.

Presidente da Associação de Profissionais Licenciados
de Optometria (APLO)