Confessa não ter pressa, nem ambições excessivas. Gosta da pintura e o que lhe dá mais prazer é sentir o pincel nas mãos a espalhar a tinta na tela, num processo construtivo em que diz procurar o entrelaçamento das figuras humana e animal. “Uma simbiose de modo a procurar o sentido da existência, da perplexidade, […]
Para ler a restante notícia, deverá ser assinante do Aurora do Lima. Subscreva uma das assinaturas para ter acesso às anteriores edições do Aurora do Lima. Faça Log in ou assina já.