A candidata do Chega à presidência da Câmara de Viana do Castelo, Cristina Miranda, defende a criação de cheques saúde e farmácia para ajudar “quase de imediato” os munícipes a receberem o serviço de que necessitam.

“De que serve termos uma política de saúde de proximidade e depois as pessoas esperarem anos por uma cirurgia ou por uma consulta urgente? Só há mudança se introduzirmos uma medida como o cheque saúde”, disse, há dias, à agência Lusa Cristina Miranda.

“As pessoas receberiam antecipadamente o valor que o Estado pagaria pelo serviço que precisam, para descontarem em qualquer hospital que tivesse vaga para a especialidade pretendida”, salientou a candidata.

“Se não houver este tipo de ajuda, por muitos centros de saúde que tenhamos espalhados pelo país, as pessoas não resolvem os seus problemas”, sustentou.

Ainda na área da saúde, a candidata lamentou que o “consumo de canábis nas escolas secundárias da cidade” seja “uma questão em que ninguém toca”, referindo-se às restantes sete candidaturas à Câmara de Viana do Castelo.

“Há consumo à porta, o produto entra na escola, é transacionado pelos miúdos dentro da escola. Isto é real, vi eu (…). Nós temos, atualmente, em Viana do Castelo um problema grave. Não tem nada a ver com os professores. Eles são impecáveis, não podem fazer mais” por alunos “‘charrados’, que é mesmo o termo, nas aulas”, destacou.

A candidata do Chega manifestou-se “contra a legalização do consumo recreativo da canábis” por “passar uma mensagem errada aos jovens”.

“De certa forma estamos a criar uma geração de alienados. Miúdos que por qualquer frustração agarram-se a uma substância para esquecer os problemas, aligeirar as frustrações e depois a sociedade é o que se vê”, disse.

Cristina Miranda pretende ainda implementar o mesmo modelo dos cheques saúde e farmácia na educação, “entregando às famílias a verba que o Estado gasta por cada aluno para que tenham a liberdade de escolher o estabelecimento de ensino que pretendem para os seus filhos”.

Além de Cristina Miranda (Chega) concorrem nas eleições de domingo à presidência da Câmara de Viana do Castelo Luís Nobre (PS), Eduardo Teixeira (PSD/CDS-PP), Cláudia Marinho (CDU), Jorge Teixeira (Bloco de Esquerda), Rui Martins (Aliança), Paula Veiga (Nós, Cidadãos!), e Maurício Antunes da Silva (Iniciativa Liberal)

Nas autárquicas de 2017, o PS conquistou 53,68% dos votos e garantiu seis mandatos. O PSD atingiu os 21,25% (dois mandatos) e a CDU (PCP/PEV) alcançou 8,11% (um eleito).