Na gíria futebolística diz-se que em equipa ganhadora não se deve mexer. Mas esta máxima, salvaguardados os devidos parâmetros, também deve estar presente nos mais variados setores da sociedade. O CVD – Teatro do Noroeste, como Viana bem sabe, nos últimos anos fez “um percurso notável de recuperação”.

Depois de um período agitado, em que esteve em causa a sua continuidade, os últimos anos, com “esforço denodado e sacrifício”, a que nunca se pouparam dirigentes e atores da companhia, e a que acresceu a boa vontade dos vianenses foram de restabelecimento do “lugar cimeiro a que a companhia sempre teve direito”.

Elisabete Pinto, atriz e até aqui presidente da Direção, vai continuar por mais um mandato com a “espinhosa tarefa de conduzir o CDV a patamares ainda mais elevados”. Para tal, terá diretamente a seu lado mais duas mulheres, também elas atrizes bem conhecidas. A elas e aos que integram a totalidade dos novos Órgãos, só lhe podemos desejar “muito sucesso”. Viana precisa de um CDV cada vez maior.

Novos corpos sociais empossados para o triénio 2019/2022: Mesa da Assembleia Geral: presidente – Filomena Mouta; vice-presidente – Ricardo Simões; secretário – Teresa Soares; suplente – Armanda Santos. Direção: presidente – Elisabete Pinto; tesoureiro – Raquel Amorim; secretário – Ana Perfeito. Conselho Fiscal: presidente – José Escaleira; vice-presidente – Porfírio Barbosa; vogal – Tomás Gonçalves; suplente – Manuel José Soares.

G.F.