Desde ontem, que representantes da Escola Agrária do IPVC estão a participar na 53.ª edição da AGRO – Feira Internacional de Agricultura, Pecuária e Alimentação.

Para além do stand, a diretora da Escola Superior Agrária (ESA), Isabel Vallín, vai participar nas Jornadas Técnicas de Inovação e Agricultura de Precisão e o docente da Escola, Júlio Lopes, vai marcar presença no seminário “O futuro dos insetos: Pragas? Auxiliares? Alimento? – contributo para a sustentabilidade”.

No stand do Politécnico de Viana do Castelo, que vai integrar a 23.ª edição da AGRO – Feira Internacional de Agricultura, Pecuária e Alimentação, os visitantes terão a oportunidade de conhecer projetos de investigação que têm sido desenvolvidos nas diversas áreas do setor assim como toda a oferta formativa da instituição.

Sobre as Jornadas Técnicas de Inovação e Agricultura de Precisão, que se realiza amanhã, a partir das 14.30 horas, a diretora da ESA-IPVC vai abordar o tema “Viticultura de precisão na região dos vinhos verdes”.  “Trata-se de um setor cada vez mais profissionalizado, que tem vindo a incorporar técnicas e tecnologias de agricultura de precisão, com o objetivo de aumentar a gestão eficiente dos recursos e a qualidade dos vinhos”, adiantou Isabel Vallín. Durante as jornadas serão também apresentados trabalhos desenvolvidos na ESA-IPVC, em parceria com empresas do setor, relativos à aplicação de sensores remotos e de proximidades nas vinhas desta Região Demarcada.

Entretanto, o seminário “O futuro dos insetos: Pragas? Auxiliares? Alimento? – contributo para a sustentabilidade” realiza-se no dia 17 de setembro, sexta-feira, às 14.30 horas. O tema do seminário foi escolhido no sentido de dar seguimento ao trabalho desenvolvido na ESA-IPVC. “É um seminário de divulgação aberto à comunidade geral e, por isso, optamos por abordar três vertentes da utilização dos insetos”, explicou o docente Júlio Lopes, esperando assim “dar um passo para o futuro, desmistificando esta questão”. Quando surgiu a proposta do seminário, continuou o docente, “pretendeu-se divulgar os projetos que a ESA-IPVC está a trabalhar com os insetos e isso é extremamente importante, porque não vale a pena só trabalhar entre portas”.

O docente da ESA-IPVC vai abordar “a componente da alimentação animal na forma de alimento vivo, no caso dos animais de companhia, e na forma da componente das rações, que é utilizada para animais de produção (aquacultura, suínos e aves)”, informou Júlio Lopes, referindo que tudo isto surge “no seguimento do projeto que a ESA-IPVC tem em curso no âmbito do programa operacional MAR 2020, que está focado na produção de insetos como alimentação em aquacultura”.

Ainda no seminário, dois docentes da Universidade do Porto vão fazer a abordagem sobre a utilização dos insetos como auxiliares na agricultura, nomeadamente no trabalho que está a ser desenvolvido em parceria com a ESA -IPVC, no âmbito do projeto STOP Suzukii, que tem como objetivo procurar predadores e parasitoides para lutar, de forma biológica, contra a praga do mirtilo.

Além disso, estará presente o responsável da empresa Portugal Bugs, que vai abordar também neste seminário, a vertente da produção de insetos para a alimentação humana.