O tempo é já avantajado e com história suficiente para que a data seja efusivamente comemorada. Mas, fazendo jus à sobriedade própria da Coletividade, ficou-se por cerimónias rodeadas de um certo simbolismo. Homenagearam-se os trabalhadores dos ENVC e associados já falecidos – e tantos eles são – e “elevaram-se” os parabéns em uníssono. Houve ainda o bolo tradicional e um pouco de branco loureiro.

Tudo discreto, mas a revelar que em casa de família unida está sempre bem patente o afeto. O GDCTENVC lá continua a engrandecer-se, não com a atividade vistosa de outros tempos, antes com um trabalho persistente e teimoso de prestação de serviço social aos associados e vianenses em geral, que começa na sua sede social, hoje um dos melhores pontos de encontro e convívio da cidade.

A Instituição arruma-se, cresce e consolida-se, para raiva dos Aguiares Brancos deste país. Há Homens e homens. Os Homens são os que fazem e legam obra a vindouros. Pelo contrário, os homens apostam na destruição, legando sombras a quem lhes sucede.

Faz bem a Instituição dos ex e atuais trabalhadores dos ENVC em apostar na descrição sempre que comemora mais um ano de vida. A raiva dos invejosos combate-se com presença e afirmação.
PJ