Amanhã (sábado) 18 de janeiro, a Fundação Bienal de Arte de Cerveira arranca a programação de 2020 com as exposições “Ilha dos Imortais” de Tereza Trigalhos, “Global Make-Up Program” de Zoran e “Confrontos” da APPACDM de Ponte de Lima. A inauguração terá lugar no Museu Bienal de Cerveira, às 16h00, e contará com a presença dos artistas representados.

De créditos firmados no panorama da arte contemporânea nacional e internacional, contando com mais de 70 exposições individuais, os artistas Tereza Trigalhos e Zoran dão a conhecer a sua obra na “Vila das Artes”.

Para Tereza Trigalhos o objetivo da mostra “Ilha dos Imortais” consiste em “perpetuar a liberdade” através de “um apelo a que os seres se tornem livres e que não fiquem agarrados àquilo que nos querem impor”. Segundo o crítico de artes plásticas da A.I.C.A, Edgardo Xavier, “tudo na pintura de Tereza Trigalhos nos remete para as dicotomias e para o radicalismo dos excessos: a forma e a cor, a dinâmica do gesto e a composição antropocêntrica, mediunidade entre o real e o transcendente…”.

Por sua vez, a mostra de Zoran apresenta, nas palavras do diretor coordenador do MAC – Movimento Arte Contemporânea e Ensino, Álvaro Lobato de Faria, “um entendimento globalmente vivido e vivenciado por cada um de nós quotidianamente, em que cada indivíduo é, talvez, o seu único passivo, acrítico e impudico espectador”.

Este sábado contará, ainda, com a inauguração da exposição “Confrontos” e uma performance dos alunos da APPACDM (Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental) de Ponte de Lima. Segundo a entidade, a mostra debruça-se sobre os confrontos vividos por diversos autores sejam individuais, únicos e irrepetíveis, onde as intenções rumam à construção de projetos de vida e nos transportam para novos mundos, recorrendo à pintura, à cerâmica e diversas técnicas mistas.