smartcapture

Sem memórias, não é possível prosseguir no futuro. Delas dependem as orientações pela vida fora. E sem afectos não se constrói um futuro sadio que valha a pena viver e sirva de orgulhoso impulso a qualquer tarefa que, por mais árdua, nos seja solicitada.

É o que se vem praticando nos muitos convívios levados a cabo pela Associação dos Alunos da Escola Técnica (AAETEC). Este ano completou a 39ª edição. A cada ano é maior a convicção e o entusiasmo, sendo fruto da camaradagem ganha no passado. As memórias, boas ou más, servem no presente de orientação e de vigoroso suporte para prosseguir na vida. Bem marcantes nos encontros realizados, como o que decorreu na semana passada, por neles se interiorizarem e extravasarem sentimentos carregados de nostalgia…

As palavras de José Luís Carvalhido, antigo Director do Agrupamento de Escolas de Monserrate e do actual director Manuel Vitorino enalteceram esta confraternização de sábado (18), na “Quinta da Presa”. Aí compareceram mais de uma centena de convivas, entre antigos alunos, docentes e discentes. Foram homenageados professores convidados, galardoado o melhor aluno do ano, Ana Oliveira Costa Pereira e ainda conhecidos os vencedores dos Jogos Florais. Tudo registado para Memória Futura.

Para além deste já consagrado convívio, houve missa sufragada pelos que da vida deixam sua saudosa memória e, no Estação Viana Shopping deu-se a abertura da não menos conhecida “ARTEMAIO”, na 21ª edição, que pode ser vista até ao dia 26.