O projeto Refill H2O_IPVC-X foi considerado “o melhor” no concurso do Programa “Ambiente, Alterações Climáticas e Economia de Baixo Carbono”.

Direcionado para o lixo marítimo, o projeto tem um financiamento de 140.349,64 euros e foi um dos 24 a concurso, no âmbito daquele programa.

O Instituto Politécnico de Viana do Castelo apresentou dois projetos considerados elegíveis tendo o Refill H2O obtido a melhor classificação de todos os que se encontravam a concurso. O projeto terá a duração de 18 meses e começará a ser implementado em setembro, sendo que os contratos de financiamento, entre o Fundo Ambiental e os seis vencedores serão assinados brevemente.

O Refill H2O é liderado pelos investigadores Ana Curralo, António Curado (coordenador), Bruno Alves, Mário Barros e Sérgio Lopes, que pretendem “incrementar a utilização de matérias-primas secundárias que permitam substituir o uso dos plásticos, promovendo para o efeito o desenvolvimento de uma estação de reenchimento de garrafas de água reutilizáveis isentas de plásticos, processo que será iniciado com a implementação de um inquérito a um grupo alargado de utilizadores de forma a definir os requisitos funcionais da referida estação de reenchimento e da garrafa”.

Os protótipos depois de concebidos, desenvolvidos e testados, serão instalados e disponibilizados nas 6 escolas do IPVC, respetivos bares, cantinas e residências académicas, sendo retirada de comercialização nestes mesmos espaços, as garrafas plásticas de água mineral.

Posteriormente, após um período de avaliação os resultados (quantidade de garrafas de água plásticas que se evitaram vender, quantidade de novas garrafas de água vendidas, quantidade evitada de utilização de plásticos, poupança energética, redução da emissão de Gases de Efeito de Estufa, etc.), estes serão devidamente tratados e disseminados com a recurso a um conjunto de campanhas de sensibilização.

Assim e numa primeira fase, o Projeto pretende implementar um inquérito exaustivo à escala do IPVC que permita identificar os hábitos de consumo da população residente de água embalada em garrafas plásticas. O coordenador do projeto, António Curado, explica que “no inquérito a implementar, a população residente será convidada a identificar um conjunto de requisitos físicos, estéticos e funcionais que permitam criar uma especificação para desenvolvimento de uma nova garrafa de água “ambientalmente amigável”, isto é, sublinha o investigador do IPVC, “constituída pelo material mais adequado, com o volume ajustado às necessidades dos utilizadores, com abertura e fecho automático, de fácil enchimento, durável, e esteticamente apelativa”.

A par da implementação do inquérito será desenvolvida uma estação de reenchimento de água a instalar nas escolas, bares, cantinas e residências do IPVC, que reunirá um conjunto de caraterísticas inovadoras. De forma a cativar a utilização da estação de reenchimento, pretende-se ainda criar uma garrafa com um design atrativo e assente em materiais devidamente selecionados, isento de plásticos, que permita a reutilização em larga escala e que garanta a qualidade da água armazenada.

Sendo os plásticos responsáveis por 70% do lixo marinho e encontrando-se o Instituto Politécnico de Viana do Castelo localizado em zona costeira, “é missão incutir novas práticas que promovam na sociedade novos hábitos de consumo ambientalmente responsáveis, sensibilizando a sociedade quanto às consequências no estado do oceano resultantes das escolhas de bens e serviços que não consideram os impactes ambientais”.