A Administração da Unidade Local de Saúde do Alto Minho (ULSAM) vai comprar uma dezena de ventiladores. O anúncio foi feito ontem pelo presidente, à agência Lusa, admitindo, no entanto, que é um processo “complicado”, graças à “escassez brutal”.

hospital já encomendou os 10 ventiladores e continua no mercado a comprar outros equipamentos necessários para suprir as necessidades. É um processo complicado, porque o mercado tem uma escassez brutal”, referia o presidente Franklim Ramos.

Franklim Ramos informou que a ULSAM dispõe, atualmente, de 16 ventiladores, mas “alguns já com vários anos”.

“Precisamos de aumentar esta resposta até um limite de mais 10 ventiladores porque não dispomos de profissionais especializados para operar mais equipamentos. Nesta altura, se chegassem mais seis ventiladores seria muito bom”, referiu.

Para além dos ventiladores, o presidente do conselho de administração da ULSAM disse ter dado “instruções” para “serem iniciados os procedimentos de aquisição de tudo o que for necessário comprar”.

“Há falta de alguns equipamentos de proteção individual para os profissionais de saúde e auxiliares, temos que gerir muito bem o ‘stock’ que temos e já recorremos à reserva nacional para suprir algumas falhas. Entretanto estamos no mercado a tentar comprar tudo o que estiver disponível”, manifestou.

Em relação aos recursos humanos, a ULSAM “já iniciou os respetivos procedimentos para a contratação de funcionários para várias áreas e de profissionais de saúde”.

O presidente da Liga dos Amigos do Hospital Santa Luzia (LAHV) salientou que desde quarta-feira estão a desenvolver uma campanha de angariação de fundos. Defensor Moura disse que “os novos equipamentos deverão chegar entre duas a três semanas. O problema são os prazos de entrega. Estamos em contacto com fornecedores de Espanha e da China. O prazo de entrega é sempre muito prolongado, uns é entre seis a oito semanas, outros 10 dias. Vamos ver”, disse, à Lusa.

O também médico de medicina interna explicou que o valor dos equipamentos varia entre “12 a 21 mil euros”.